PÁGINA INICIAL NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Tem coisas que só acontecem na terrinha


Na noite de ontem eu presenciei algo bizarro no centro da cidade.

Um caminhão estacionou na travessa em frente ao comércio de Galego Saldanha, entre a Praça Maria Cavalcante e o Pavilhão. Começaram a descarregar brita para construção jogando o material na calçada.

Se formou uma nuvem de poeira tão densa, que a visibilidade do beco era zero. A nuvem de poeira se espalhou pelo Pavilhão e a Praça, que dificultava enxergar até a Igreja Matriz. As pessoas que estavam na Praça se afastaram. Alguns que estavam no Pavilhão e a Churrascaria saíram. Quem ficou nas imediações do posto de Bruno Almeida teve que bater a poeira da roupa.

Tem coisas que só acontecem aqui em Alexandria. Pessoas fecham ruas para descarregar caminhões, fecham ruas com entulhos, se constrói em cima das calçadas... E o Código de Postura do município, de postura não tem nada.

Por falar em rua fechada. A travessa por traz da caixa d’água que dá acesso ao Banco do Brasil e a rua defronte, são interditadas permanentemente por cavaletes de ferro com correntes quando o banco está em expediente. Isso há anos.

Segundo dizem é o temor de assalto. Sinceramente eu não posso entender que aqueles cavaletes impeçam de assaltantes agirem.

Pergunta a gerência do banco se eles se responsabilizam pelos clientes que forem assaltados nessa área?

2 comentários:

Anônimo disse...

Não é Só em Alexandria, acredite!

Anônimo disse...

Não é só em Alexandria que acontece isso, lamentável!