PÁGINA INICIAL NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Colhendo leitores

Um projeto que tem feito a diferença na cidade de Alexandria e região. Desenvolvido pelo Instituto Zulmirinha Veras, o Colhendo Leitores existe desde 2008 e tem feito com que jovens, crianças e idosos tenham maior contato com a literatura. "Paralelamente à criação do Instituto, passamos a idealizar ações voltadas ao incentivo à leitura, como ferramenta para se proporcionar engrandecimento cultural à comunidade alexandriense. Lançado em 2008, o edital do Programa BNB de Cultura, edição 2009, externamos aquele propósito à professora aposentada Matilde Carlos Fernandes que, confirmando seu intuito de, voluntariamente, colaborar com nossas atividades, concebeu e elaborou o Projeto Colhendo Leitores", explica George Veras, presidente do instituto.

De acordo com ele, o projeto consiste numa biblioteca itinerante que, constituída, também, por teatro de fantoches visita comunidades urbanas e rurais, democratizando a leitura e contribuindo para uma melhor formação cultural da população, especialmente do público-alvo, formado por crianças em idade escolar, adolescentes e membros do programa EJA (Educação para Jovens e Adultos). "As atividades do projeto são desenvolvidas, geralmente, em sombras de árvores, alpendres e oitões, através de uma programação de deslocamento, em veículo pick-up, do acervo bibliotecário e de mesas e cadeiras", destaca.

Em 2009 e 2010, o Colhendo Leitores foi contemplado pelo Programa BNB de Cultura, edições 2009 e 2010, recebendo patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil, em parceria com o BNDES e do Governo Federal. "Além disso, mantemos uma constante parceria com escolas públicas - municipais e estaduais - e privadas sediadas em Alexandria, levando ações de leitura e arte aos estabelecimentos de ensino ou recebendo visitas de alunos e professores na sede do instituto, onde, igualmente, atividades do projeto são realizadas", comenta George.
Ele salienta que o projeto está atualmente sem patrocínio, pois não participou da edição 2011, do BNB de Cultura. "Mas estamos no aguardo de contemplação na edição 2012, do mesmo Programa, cujo resultado está previsto para maio. Enquanto isso, desenvolvemos ações do Colhendo Leitores com algumas limitações, por não dispormos de recursos para remunerar os mediadores de leitura", diz.

LIVRO DE BIOGRAFIAS DE MANOEL JÁCOME DE LIMA - Entre as propostas da entidade para este ano, o livro de biografias, escrito por Manoel Jácome de Lima, tem sido um dos objetivos do instituto.

Nascido na antiga povoação da Barriguda, atual município de Alexandria, além de professor, educador e dirigente escolar, Manoel Jácome de Lima foi um profundo pesquisador da história de municípios e personalidades potiguares.
Na década de 50 do século passado, o "Professor Dubas", como era mais conhecido, escreveu e, gradativamente, publicou na imprensa natalense, dados biográficos dos patronos dos grupos escolares que, na época, funcionavam no Estado. "Quando eu estava elaborando o livro 'Alexandria - Retratos de Uma História' (2007), conheci um neto de Manoel Jácome, o professor Francisco França de Jácome Barreto, residente em Macaíba, o qual disse da intenção de realizar um sonho que seu avô não concretizou, qual seja a publicação de um livro contendo as biografias dos patronos, e pediu apoio para a empreitada. No ano passado, procurei os familiares do autor e disse que o Instituto poderia encampar a luta pela publicação, ocasião em que recebi autorização para organizar as biografias e transformá-las em livro", comenta George. 
  
Segundo ele, o trabalho integrará a Coleção Poeta Vicente Lopes, vinculada ao Instituto Zulmirinha Veras e, conforme contatos mantidos com o escritor e poeta Eduardo Gosson, receberá o selo da União Brasileira de Escritores (UBE) no Rio Grande do Norte. "Estamos buscando apoio junto a órgãos públicos, havendo endereçado ofícios à Secretaria Extraordinária de Cultura, à Secretaria de Estado da Educação e à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Dos 40 biografados, 15 integraram, como deputados, o Poder Legislativo Estadual. Acreditamos no apoio oficial, pois o livro será de muita importância para o resgate da trajetória de 40 pessoas que muito contribuíram para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, servindo de fonte de consulta para as novas gerações e, principalmente, para os membros das escolas que têm como patronos os biografados", frisa.
George Veras revela que o livro tem passado por atualização da ortografia empregada no texto e elaboração de notas. "Além disso, dotaremos o livro (ainda sem título) de fotografias e caricaturas dos patronos biografados, imagens que, em grande parte, são desconhecidas pelos próprios estabelecimentos de ensino. Esse trabalho ainda não foi concluído devido à falta de recebimento de parte das informações solicitadas às escolas que têm como patronos os biografados", ressalta.
Além de artigos publicados na Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, do qual era sócio e dirigente, Manoel Jácome de Lima escreveu "Monografia do Município de Pau dos Ferros", lançado em 1956, e "Martins", relativamente ao município do mesmo nome e publicado após sua morte.

CONHEÇA O INSTITUTO ZULMIRINHA VERAS - O Instituto Zulmirinha Veras é hoje uma referência em Alexandria e região e, de acordo com George Veras, era um sonho antigo. "Sempre pensei em criar uma instituição que pudesse atuar em áreas como cultura, meio ambiente e esportes, contribuindo para o exercício da cidadania e para a melhoria das condições de vida dos meus conterrâneos alexandrienses", fala. "A ideia já se encontrava em um estágio bastante avançado quando, para imensa tristeza de todos nós, familiares e amigos, minha irmã Zulmira, ainda jovem e de maneira brusca, deixou nosso convívio", comenta. "Assim, quatro meses após a partida da inesquecível irmã, na data em que ela completaria 49 anos, criamos o Instituto Zulmirinha Veras, prestando justa homenagem a uma pessoa intimamente ligada à cultura, principalmente como assídua leitora de livros e verdadeira cinéfila", diz.

Hoje, o instituto possui em permanente funcionamento a Biblioteca Professor Dubas, o Cineclube Alexandria, com exibições regulares e gratuitas e o Museu Histórico de Alexandria, inaugurado no final de setembro passado, além de comemoração de datas como o Dia da Poesia, o Dia do Livro Infantil e o Dia do Meio Ambiente.
Para este ano está prevista o lançamento de mais três livros de poesias, mediante parcerias com empresas de comércio e serviços que, oferecendo patrocínio, divulgam suas marcas nas contracapas dos trabalhos, como ocorreu em "Saudades.
(Gazeta do Oeste) 

Nenhum comentário: