PÁGINA INICIAL NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Vereador enaltece filme Inácio Garapa

O vereador Mazinho de Loro foi o único a elogiar a produção do filme “Inácio Garapa, Um Matuto Sonhador 02. O Retorno”, na última sessão da Câmara de Vereadores de Alexandria, antes do recesso.

Não participei da sessão, mas tomei conhecimento que o Edil teceu elogios pelo trabalho desenvolvido. O vereador comunicou que não compareceu a estréia do filme por estar com um problema ocasionado pela extração de um dente.

Nos dias 10 e 11 próximo passado aconteceu o primeiro evento cultural pós inauguração da Casa de Cultura de Alexandria. Depois do grande sucesso em quase todas as regiões do país, o filme alexandriense Inácio Garapa, Um Matuto Sonhador, continua a saga com o lançamento do novo filme “Inácio Garapa, Um Matuto Sonhador 02. O Retorno”.

Diante da grande repercussão do primeiro filme, que levou o nome de Alexandria tão longe, onde jamais algo acontecido neste município foi tão propagador, esperávamos que superasse todas as expectativas de público e participação. Ledo engano.

É bom que os Senhores representantes do povo, percebam o que está acontecendo com a nossa cidade, morta culturalmente. Mostrem-me algum projeto cultural apoiado pelas autoridades constituídas ou não? O que se vê são jovens vivendo no ostracismo do alcoolismo e nas drogas. Somente o projeto Inácio Garapa, feito basicamente com recursos próprios, privado da obrigação do Poder Público de contribuir com essa cultura, repito: vez que o filme já mostrou a sua grandiosidade e se constitui no maior propagador deste município Brasil afora e até no exterior, pois o primeiro filme foi veiculado na integra na internet por admiradores, é uma realidade. Jamais ou outro evento foi tão vultoso como esse, nem o carnaval de Alexandria propaga a cidade tão longe. Que alguém prove o contrário. Mesmo assim, não se vê nenhum reconhecimento oficial pelas autoridades constituídas.

Para essa segunda produção, recebemos incentivos logísticos (muito pouco), da Prefeitura Municipal de Alexandria através da Secretaria de Cultura e apoio financeiro da ordem de R$ 750,00 de dois comerciantes. Fora daqui, recebemos apoio financeiro da ordem de R$ 12.500,00. Isso mostra que além dos limites da terra mãe de Inácio Garapa, o projeto tem credibilidade e acontece. Mas, mesmo com esses recursos alocados não cobre 50% da sua produção.

O que mais lamentamos foi à ausência quase que total daqueles que tinham a obrigação de valorizarem, pelo menos com suas presenças, esse projeto grandioso. Da esfera Executiva, apenas a vice-prefeita Jânia Fernandes, da esfera Legislativa, nenhum dos Senhores representes do povo. O presidente da Casa, vereador Chiquinho Pires, antecipadamente informou que iria viajar, mas que faria esforços para chegar a tempo da estréia. O vereador Edilberto Oliveira teve a dor de perder a sogra, os demais Senhores foram omissos e desleixosos com o evento tão significante. Com certeza tinham outros compromissos mais importantes.

É lamentável a falta de compromisso e valorização com a cultura desta terra. O projeto Inácio Garapa foi idealizado por mim, mas não esqueçam que envolve mais de 30 pessoas, simples, trabalhadores comuns, que hoje desenvolvem um trabalho cultural admirados em quase todo o país. O projeto Inácio Garapa pode parecer pequeno diante das condições com que realizamos o trabalho, mas se torna grandioso pela dimensão que tomou além dos limites deste município. É tanto que a Inter TV Cabugi realizou uma matéria sobre o filme de cerca de 07 minutos em horário nobre, no Bom Dia RN, algo que só é feito quando o evento tem um grande significado. O repórter Carlos Adams ficou tão encantado com o projeto que guardou a matéria durante uma semana para ser apresentada ao vivo, quando o link da TV foi instalado na segunda-feira (12) no município. Mas, aqui em Alexandria, parece que o projeto Inácio Garapa se constitui um evento cultural dos mais simples, pelo descaso das autoridades.

Me desculpem a franqueza, mas os Senhores foram de uma ausência imperdoável, destoante com tudo o que pregam na Tribuna desta Casa. Não com a minha pessoa particularmente, mas com todos aqueles que não são valorizados financeiramente e deixam as suas famílias nos finais de semana para produzirem o maior evento cultural que essa cidade já viu. Já houve muitos eventos de relevante importância no município, mas nenhum tomou a proporção, repito, extra município, que nem o Inácio Garapa tem expandido.

2 comentários:

Angélica Ingrds* disse...

Realmente senhor J.Gomes, a população daqui e em principal as autoridades representantes não fazem juz a cultura de uma cidade que há muito tempo esteve perdida. È imprescidível o apoio de tais membros para que este trabalho possa ser visto como orgulho e em principal como algo que partiu de nossa terra. Infelizmente, estão preocupados(as) em subir em seus cargos, controlar saidas e entradas de capitais, e sem dúvida alguma o que vemos é o descaso, os jovens daqui estão cada vez mais perdidos, é uma mazela, mas é real.
P.S.: "Não generalizo minhas palavras"

netusfilmespb disse...

Olá tudo bem aqui é Netusfilmes da Paraíba.

O seu trabalho chegou a três meses aqui na Cidade de Capim – PB, em especial no distrito que é olho dágua de Capim, os críticos da aqui apreciadores dos filmes Brasileiro incluindo filmes amadores, disseram que está no padrão,mas as cenas estava muito longa sem valorização,não sei se foi feito por amadores ou por profissionais que nesse caso poderia aumentar ou diminuir os créditos.
Finalizo de ângulo geral foi uns dos filmes que mais me surpreendeu por alguns detalhes, essa semana acabei de assistir um filme bastante amador não por ser amador mas pelo roteiro e direção deixaram a desejar, sei que passando pela sua cabeça o filme que foi feito aqui na minha cidade o Filme a Botija 3 que a intenção de divulgar e sim uma brincadeira já que ninguém tinha experiência e nem um curso, na realidade um sonho e deu certo.
Um abraço de Valério Araújo endereço do blog netusfilmespb