PÁGINA INICIAL NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Advogado Erick Pereira consegue derrubar, no TSE, ação do TRE que proíbe candidatos com registros indeferidos, de fazer campanha


Advogado do candidato Gija, que disputa a Prefeitura de Tangará, Erick Pereira recorreu ao TSE, da decisão do TRE-RN, que proibiu hoje candidatos com registros indeferidos no TRE, de fazerem campanha.

Agora há pouco o TSE derrubou a decisão do TRE, contabilizando mais uma ação do TRE que Erick consegue reformar no TSE.

A decisão que beneficia Gija se estende aos demais candidatos.
(Thaisa Galvão)

Do Blog: O Tribunal Superior Eleitoral veicula todos os dias nos meios de comunicação Glingles sobre a Lei da Ficha Limpa, orientando o quanto é danoso votar em candidatos apontados como ficha suja e o quanto é danoso para democracia a venda de votos.

Se por um lado o Supremo está condenando os bandidos do mensalão do PT - o que nos deixa orgulhosos e esperançosos que este país ainda tem jeito - por outro vemos uma enxurrada de liminares e de contradições jurídicas colocando no páreo todos os candidatos que se apresentam com notificações no Tribunal de Contas do Estado - TCE, como fichas sujas.

Se existe a veiculação desses glingles pedindo que o eleitor não eleja tais candidatos é porque a justiça eleitoral é falha. Se o TCE é um órgão que não tem poderes para julgar, porque manter o órgão fiscalizador se depende o seu trabalho de aprovação de uma Câmara de Vereadores e  julgamento da justiça? São mínimas as Câmaras que acatam a desaprovação do TCE, sempre existe o corporativismo. Aquela velha história: hoje é tu, amanhei serei eu.

E assim caminhamos em busca da total democracia dia 7 de outubro. Alardeando que é danoso vender o voto. Enquanto isso os registros de fichas sujas estão acontecendo. Gente que vende até a alma. E o eleitor, será que vai entrar nessa onda do que chamam de festa da democracia?

Desculpem se fui radical. Mas, as vezes, o poder de indignação fala mais alto.


Nenhum comentário: