PÁGINA INICIAL NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA NOME DA CASA

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Senador sugere ‘chicote’ contra vagabundo na cadeia

O senador Reditário Cassol (PP-RO) sugeriu, da tribuna do Senado, a adoção de castigo físico nas prisões brasileiras.

Disse que os senadores precisam “botar a mão na consciência”, para alterar o Código Penal e “fazer voltar um pouco do velho tempo”.

Para Reditário, as cadeias estão super-lotadas porque os legisladores criam “vantagens” que estimulam a reincidência no crime.

Entre os benefícios, citou o auxílio-reclusão pago pelo governo às famílias dos detentos. Coisa de R$ 863,60 mensais.

Defendeu a extinção do benefício. Acha que os presos devem trabalhar na cadeia para prover o sustento de seus familiares.

O pronunciamento de Reditário caminhava pela trilha da normalidade. É grande o número de brasileiros que se opõem ao auxílio-reclusão.

O discurso desandou no instante em que o senador sugeriu a “volta aos velhos tempos”.
Declarou que, “quando o preso não trabalhasse de acordo”, deveria ser tratado à base de “chicote, que nem antigamente.”

“É isso que precisamos fazer, porque é uma vergonha nacional. O que se vê são famílias preocupadas com os assaltantes, famílias preocupadas com os malandros”.

Reditário prosseguiu: “Nos velhos tempos não existia presídio, eram cadeias que viviam praticamente vazias...”

“...O preso, quando se despedia, […] nunca mais se enxergava ele. Hoje, quando libertado, sai dando risada, rindo das autoridades…”
“…Em poucas semanas, em poucos meses está de volta. E nós, aqui, não pensamos em fazer alguma coisa.”

Reditário anunciou que apresentará projeto de lei sugerindo o fim da ‘bolsa reclusão’.

Considera “absurdo” que trabalhadores recebam o salário mínimo de R$ 545, enquanto “o vagabundo, sem-vergonha, que está preso, recebe uma bolsa de R$ 863,60”.

Ouviu-se um único e solitário aparte. Proferiu-o o senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Velho defensor dos direitos humanos, ele ponderou: “Posso compreender sua indignação, mas, de maneira alguma, aprovaria a utilização do chicote, porque seria uma volta à Idade Média.”

Suplicy serviu-se do aparte para empinar, pela enésima vez, o seu projeto preferido: a criação da ‘Renda Básica de Cidadania’, que seria extensiva aos presos.

Presidente do PPS, o deputado Roberto Freire (SP) comentou o discurso no twitter:
“Absurda a ideia do senador Reditário Cassol de chicotear presos nas cadeias. Mentalidade retrógrada, merece ser repudiada pela consciência democrática do país.”

Freire recordou que o trabalho de presidiários, sugerido por Reditário como novidade, é coisa que a legislação brasileira já prevê.

Ironicamente, Reditário é suplente do filho, o senador licenciado Ivo Cassol (PP-RO), um ex-filiado do PPS de Freire.
(Blog do Josias)

Nenhum comentário: